sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Dicas Culturais do Fim de Semana - 7 a 9 de dezembro

CINEMA



Bullying [Bully, EUA, 2011], de Lee Hirsch (Vinny). Gênero: documentário. Sinopse: Longa sobre a prática do bullying nas escolas americanas. Duração: 98 min. Classificação: 12 anos.




Entre o amor e a paixão [Take this Waltz, Canadá/Espanha/Japão, 2011], de Sarah Polley (California). Gênero: comédia. Elenco: Michelle Williams, Seth Rogen, Luke Kirby, Sarah Silverman. Sinopse: Mulher feliz no casamento se apaixona por artista que mora do outro lado da rua. Duração: 91 min. Classificação: 14 anos.




A escolha perfeita [Pitch Perfect, EUA, 2012], de Jason Moore (Universal). Gênero: comédia. Elenco: Anna Kendrick, Elizabeth Banks, Brittany Snow. Sinopse: Beca, uma caloura na Barton University, entra para o The Bellas, grupo de canto formado só por garotas. Lá ela injeta a energia que faltava ao grupo, que desafia seus rivais masculinos do campus. Abertura nos EUA: US$ 5,1 milhões (em 28/09/2012). Dif. (segundo fim de semana): +188,3%. Acumulado nos EUA: US$ 62,5 milhões. Duração: 112 min.




Na terra de amor e ódio [In the Land of Blood and Honey, EUA, 2011], de Angelina Jolie (Paris). Gênero: drama. Elenco: Zana Marjanovic, Goran Kostic, Rade Serbedzija, Nikola Djuricko e Branko Djuric. Sinopse: Durante a Guerra da Bósnia, soldado sérvio encontra uma antiga paixão, agora prisioneira de um campo de refugiados bósnios. Abertura nos EUA: US$ 18,8 mil (em 23/12/2011). Dif. (segundo fim de semana): -49,7%. Acumulado nos EUA: US$ 303,8 mil. Duração: 127 min. Classificação: 16 anos.




Quatro amigas e um casamento [Bachelorette, EUA, 2012], de Lesley Headland (Imagem). Gênero: comédia. Elenco: Kirsten Dunst, Lizzy Caplan, James Marsden, Isla Fisher. Sinopse: Três amigas são convidadas para serem damas de honra no casamento de uma ex-colega de escola que elas costumavam ridicularizar. Duração: 87 min . Classificação: 16 anos.




A sombra do inimigo [Alex Cross, EUA, 2012], de Rob Cohen (Playarte). Gênero: suspense. Elenco: Matthew Fox, Tyler Perry, Jean Reno, Rachel Nichols. Sinopse: Depois de um membro de sua família ser assassinado o detetive Alex Cross jura localizar o criminoso, mas logo ele descobre que as coisas não são o que parecem. Abertura nos EUA: US$ 11,3 milhões (em 19/10/2012). Dif. (segundo fim de semana): -55%. Acumulado nos EUA: US$ 25,4 milhões. Duração: 107 min. Classificação: 14 anos.




A última casa da rua [House at the End of the Street, EUA, 2012], de Mark Tonderai (Paris). Gênero: horror. Elenco: Jennifer Lawrence, Elisabeth Shue, Gil Bellows, Max Thieriot. Sinopse: Mãe e filha se mudam para uma nova cidade e descobrem que estão vivendo ao lado de uma casa onde uma garota assassinou os pais, mas logo ficam sabendo que a história está longe de acabar. Abertura nos EUA: US$ 12,2 milhões (em 21/09/2012). Dif. (segundo fim de semana): 42%. Acumulado nos EUA: US$ 31,4 milhões. Duração: 101 min.


Rio de Janeiro

SHOW

Diogo Nogueira
8 de dezembro



O cantor mostra o show de seu novo CD e DVD, “Diogo Nogueira ao Vivo em Cuba”, que foi gravado em novembro de 2011, no Teatro Karl Marx, em Havana, é já é sucesso de público. No repertório, estão “Madalena” (Ivan Lins/Ronaldo Monteiro), “Que maravilha” (Toquinho/Jorge Ben Jor) e “Tanta saudade” (Chico Buarque/Djavan), que ganharam um “tempero cubano”, além da contagiante “El cuarto de tula”, do CD e filme “Buena Vista Social Club”.

Local: Circo Voador
Endereço: Rua dos Arcos, S/N - Lapa - Rio de Janeiro - RJ
Horário: 23h
Preço: R$80 (inteira) R$40 (meia)
Classificação: 18 anos.


TEATRO

Tarja Preta
de 7 de dezembro de 2012 a 27 de janeiro de 2013



A peça retrata com humor e sensibilidade uma mulher que, diariamente, precisa de uma injeção química no sangue, em forma de comprimidos, para que consiga viver. De certa forma, a personagem se orgulha do vício, mergulhando destemidamente em sua onda química e inventando uma espécie de paraíso artificial, no qual estabelece uma conversa incessante com seu próprio cérebro.

Local: Centro Cultural Justiça Federal
Endereço: Av. Rio Branco, 241 – Centro - Rio de Janeiro - RJ
Horário: Quinta a Domingo, às 19h
Duração: 60 min.
Preço: R$20
Classificação: 14 anos


EXPOSIÇÃO

Henrique Oliveira...
até 3 de fevereiro de 2013



Na maior individual da carreira, o artista de São Paulo mostra oito pinturas e cinco esculturas de dimensões arquitetônicas, datadas de 2008 a 2012. Nas esculturas, por exemplo, Oliveira superpõe lascas de compensado flexível de tapumes de obras urbanas, nos quais intervém com tinta acrílica.

Local: Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica
Endereço: Rua Luís de Camões, 68 - Centro - Rio de Janeiro - RJ
Horário: dom e sáb 11:00 até 17:00 | ter, qua, qui e sex 11:00 até 18:00
Preço: Gratuito
Classificação: Livre

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Dicas Culturais do Fim de Semana - 30 de novembro a 2 de dezembro

CINEMA



Os penetras [Brasil, 2012], de Andrucha Waddington (Warner). Gênero: comédia. Elenco: Marcelo Adnet, Eduardo Sterblitch, Andrea Beltrão, Mariana Ximenes. Sinopse: Beto e Marco, dois caras totalmente opostos, passam por tudo o que pode dar certo ou errado nas situações mais inusitadas e hilariantes do louco reveillon carioca, a procura de Laura, namorada de Beto e cobiçada por Marco. Duração: 94 min. Classificação: 14 anos.




Celeste e Jesse para sempre [Celeste and Jesse Forever, EUA, 2012], de Lee Toland Krieger (Sony). Gênero: comédia. Elenco: Andy Samberg, Rashida Jones, Elijah Wood, Ari Graynor, Eric Christian Olsen. Sinopse: Casal divorciado tenta preservar a amizade entre os dois, enquanto buscam novas paixões. Duração: 92 min. Classificação: 14 anos.




Dino Cazzola – Uma filmografia de Brasília [Brasil, 2012], de Andrea Prates e Cleisson Vidal (Terra Firme Produções). Gênero: documentário. Sinopse: O filme mostra o acervo do italiano Dino Cazzola, cinegrafista e produtor de Brasília, que registra a capital federal desde o inicio de sua construção. Duração: 71 min. Classificação: livre.




Holy Motors [França/Alemanha, 2012], de Leos Carax (Imovision). Gênero: drama. Elenco: Denis Lavant, Edith Scob, Eva Mendes, Kylie Minogue. Sinopse: Monsieur Oscar é um homem sombrio que viaja de uma vida para a outra. Duração: 115 min. Classificação: 14 anos.




O homem da máfia [Killing Them Softly, EUA, 2012], de Andrew Dominik (Imagem). Gênero: policial. Elenco: Brad Pitt, Ray Liotta, James Gandolfini. Sinopse: Jackie Cogan é um investigador profissional que averigua um assalto que aconteceu durante jogo de pôquer. Duração: 100 min. Classificação: 16 anos.




Marcelo Yuka no caminho das setas [Brasil, 2011], de Daniela Broitman (Tucumán). Gênero: documentário. Sinopse: Um retrato do compositor Marcelo Yuka e todas as transformações que enfrentou desde que foi baleado durante um assalto no ano 2000, que deixou paraplégico. Duração: 95 min. Classificação: 12 anos.




A origem dos guardiões [Rise of the Guardians, EUA, 2012], de William Joyce e Peter Ramsey (Paramount). Gênero: animação. Vozes: Chris Pine, Jude Law, Hugh Jackman, Isla Fisher. Sinopse: Papai Noel e o Coelho da Páscoa reúnem um grupo de seres folclóricos para combater o Bicho-Papão. Com exibição em 3D. Abertura nos EUA: US$ 23,7 milhões (em 23/11/2012). Duração: 97 min.



Rio de Janeiro

SHOW

Luiz Melodia
30 de novembro



O artista se apresenta com um trio e lembra sucessos de sua carreira, como “Pérola Negra”, “Magrelinha”, “Estácio, eu e você”, “Juventude Transviada” e “Negro gato”.

Local: Miranda
Endereço: Avenida Borges de Medeiros 1424, Lagoa, Rio de Janeiro - RJ
Horário: 21h
Preço: R$ 160.00 (Setor Sustenido) | R$ 200.00 (Bar e Setor Notável) | R$ 240.00 (Setor Um Tom Acima) | Grátis (desconto de 50% com cadastro no site)
Classificação: 16 anos.



TEATRO

A casa dos budas ditosos
de 30 de novembro a 9 de dezembro de 2012



Fernanda Torres interpreta uma baiana de 68 anos que detalha as incontáveis experiências sexuais que teve ao longo da vida. Em cena, ela conta, com humor, histórias de uma mulher que deseja dizer ao mundo que ousou cumprir sua vocação libertina e foi feliz.

Local: Imperator
Endereço: Rua Dias da Cruz, 170 - Méier - Rio de Janeiro - RJ
Horário: Sexta e Sábado às 20h | Domingo às 19h
Duração: 90 min.
Preço: R$ 60 (sex e dom) | R$ 80 (sáb)
Classificação: 18 anos



EXPOSIÇÃO

Na palma da minha mão
de 12 de outubro a 16 de dezembro de 2012



O artista baiano Zé Andrade iniciou seu trabalho desenhando em papel. Ao chegar ao Rio de Janeiro, em 1973, mudou o rumo de sua arte. Inspirando-se na tradição nordestina e na vitalidade da caricatura, resolveu prestar homenagem a artistas que o marcaram. Daí surgiu um museu do imaginário, em que combinam-se o popular e o erudito, a imaterialidade da memória à meterialidade das figuras. Humor e poesia marcam a estética de Zé. Figuras miúdas que cabem na palma da mão. E tão verdadeiras que falam direto ao coração.

Local: CCBB-RJ
Endereço: Rua Primeiro de Março, 66 – Centro – Rio de Janeiro – RJ
Horário: Terça a domingo, das 9h às 21h
Preço: Entrada Franca
Classificação: Livre

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Tautologia



Quantas vezes esses vícios de linguagem aparecem em nosso dia-a-dia e nem nos damos conta. O vídeo de hoje mostra de uma forma bem humorada as tautologias da vida. Divirtam-se!

Fonte: Trecho da peça Nós na Fita

terça-feira, 27 de novembro de 2012

[Entrevista] Cinema de tradução com Jorge Furtado

Por Guilherme Bryan

Cineasta que traduziu clássicos de Lewis Carroll para o português discute o valor do texto na criação de filmes.



Desde a adolescência a personagem Alice, de Lewis Carroll, povoa o imaginário do cineasta gaúcho Jorge Furtado, de 52 anos, conhecido por curtas como Barbosa (1988) e Ilha das Flores (1989) e pelos longas Houve uma vez Dois Verões (2002), O Homem que Copiava (2003), Meu Tio Matou um Cara (2004) e Saneamento Básico - O Filme (2007). Não é à toa, portanto, que ele dedicou os últimos anos a traduzir, com Liziane Kugland e pela editora Alfaguara, Aventuras de Alice no País das Maravilhas, de 2007, e Alice Através do Espelho (E o que ela encontrou lá.

Autor do romance Trabalhos de Amor Perdidos (2005), escrito por encomenda da editora Objetiva, começou a carreira como jornalista na gaúcha TV Educativa. Foi um dos primeiros blogueiros do país. Jorge Furtado defende o cinema coletivo praticado, por exemplo, pela Casa de Cinema de Porto Alegre, da qual é sócio desde o surgimento, em 1987. Gaba-se de sempre aparecer nos créditos de seus filmes simultaneamente como diretor e roteirista e comemora o fato de, em março de 2008, ter sido homenageado pelo Harvard Film Archive, ligado à Universidade Harvard (EUA), com uma mostra dedicada aos seus filmes.

Apesar de acostumado a usar o pronome "tu" à gaúcha, mesmo quando não necessário, considera vital a leitura e o domínio da língua para a atividade de cineasta: "O cara só aprende a ser cineasta lendo. O cinema cria imagens, mas a leitura cria imaginação. Quando lê, tu filma na tua cabeça. No cinema, alguém imaginou por ti e criou as imagens".



Como surgiu a oportunidade de traduzir os dois Alice?

Desde a adolescência, eu leio a Alice em várias e várias versões. A primeira que li foi a do Tesouro da Juventude. Depois li a tradução do Monteiro Lobato e, mais tarde, a do Sebastião Uchoa Leite. Aí me interessei em ler o original. No final dos anos 90, fiz uma primeira tentativa de tradução, não integral, para uma peça de teatro que foi montada pela Luana Piovani. Nos anos 2000, resolvi enfrentar o livro todo. Mas meu inglês não dá para isso, de maneira alguma. Então convidei a Lizane Kugland, que é tradutora e foi minha professora de inglês, e fizemos juntos. Levamos uns dois anos para traduzir o primeiro. Em seguida, pensamos em fazer o segundo e, após começarmos a ler, chegamos à conclusão de que seria até mais interessante, com o mesmo espírito de fazer uma tradução bastante fiel, na íntegra, e adaptada para crianças brasileiras de hoje. Algo que elas poderiam ler sem nota de pé de página e entender as piadas.



O que você acha das traduções brasileiras?

As duas traduções que eu conheço com o mesmo espírito da nossa são a do Monteiro Lobato e a da Ana Maria Machado. São traduções do texto integral para crianças. As outras são adaptações ou traduções em que só se entende a piada lendo a nota de pé de página ou o original também. Do segundo livro, não conheço outra tradução como a nossa. O livro é feito de trocadilhos, silogismos, coisas de lógica e piadas de todos os tipos com a língua. Mas totalmente compreensível para crianças inglesas do século 19. Se tu traduzir literalmente para hoje, uma criança não entende nada. Então era preciso entender a piada naquele contexto em que foi dita, a intenção do autor, e adaptar para as crianças imaginárias de hoje.



Por exemplo?

Quando Alice cai no poço, ela brinca com o som das palavras bat (morcego) e cat (gato). Quando tu vais traduzir para o português, se traduz "gato" e "morcego" não tem graça. São palavras muito diferentes. Então a gente teve de traduzir para "gato" e "rato", e inventar outro jeito de chegar à frase. Aí a criança entende a brincadeira, pois adora trava-línguas e jogos de palavras. A gente deu um salto quando tinha de traduzir "Tweedledum and Tweedledee". As crianças não entenderiam nada da piada, pois não conheciam aquela canção britânica. Então tivemos de achar uma canção brasileira, original, em português, que as crianças entendessem. Chegamos então no "Tindolelê" e "Tindolalá", que elas conhecem e, sonoramente, são parecidas com o original.



O que uma boa tradução precisa ter?

A boa tradução é a que mantém a intenção do autor e o prazer da leitura na língua de destino. É preciso ter um respeito à intenção, mas tratar com algum desrespeito os detalhes do original, para poder fazer com que ele faça sentido numa nova língua e numa outra época. Ivo Barroso, grande tradutor, dizia que só existe uma crítica possível a uma tradução: outra tradução. O Carroll tinha uma imaginação prodigiosa. É um livro de muitas brincadeiras com lógica e linguagem, pois ele era um grande matemático e pesquisava a potencialidade da língua.



O que achou do filme do Tim Burton?

Visualmente lindo, como tudo o que ele faz, e uma porcaria inqualificável como roteiro e desrespeito ao original. Ele não poderia ter chamado o filme de Alice no País das Maravilhas porque, primeiro, mistura os dois livros todo o tempo, e, segundo, porque, no caso dele, transformou a Alice numa heroína moralista, com espada na mão, tentando matar o dragão. É o oposto do livro. Talvez a maior revolução do Lewis Carroll tenha sido fazer um livro para crianças que não é moralizante. A literatura infantil, até então, era para ensinar as crianças a serem adultas comportadas. Tim Burton seguiu a lógica hollywoodiana, de bem e mal. O personagem do Chapeleiro é constrangedor, ajudando a Alice a derrotar o dragão. O funk do Gato é para sentir vergonha alheia (risos). E o filme termina com a Alice moralizadora, saindo suja de barro de um buraco real e partindo de navio para fazer negócios na China, de acordo com o interesse da Disney de conquistar o mercado chinês. Carroll deve ter rolado na tumba.



Como você se relaciona com o uso da língua portuguesa no cinema?

Abel Gance (cineasta francês) diz que o cinema é a música da luz. E gosto de música com letra (risos). Para mim, o cinema está mais relacionado com a poesia do que com a prosa, porque é um texto com ritmo, métrica, estrofes e versos. O cinema tem uma métrica perfeita, inclusive tecnicamente, os vinte e quatro quadros por segundo. Eu me preocupo muito quando estou escrevendo com o modo como as pessoas vão ouvir. Escrevo com o ouvido. Isso é uma característica de quem trabalha com a dramaturgia do teatro e do cinema. Com quem escreve um texto que vai ser ouvido. Jorge Luis Borges diz que a leitura em voz alta de um texto é um ótimo teste da sua qualidade. Sempre leio meus textos em voz alta, é uma experiência que serve para todo mundo sentir o ritmo do texto e a sonoridade das palavras.



Por que, desde Ilha das Flores, a locução tem uma importância grande nos seus filmes?

O texto em off é uma importação da literatura. Gosto muito e funciona muitas vezes, quando é um adicional ao filme e não uma muleta para a cena. Também sempre gostei de misturar várias fontes. Ilha das Flores surgiu num momento, talvez inédito no Brasil, de utilizar o hipertexto, com uma palavra que leva para outra palavra, em camadas. Essa ideia de relacionar conteúdos rapidamente eu acho muito apropriada para a linguagem audiovisual. Curiosamente, Shakespeare foi um dos primeiros a fazer mudanças de um cenário para outro, desrespeitando regras teatrais da época. (David Wark) Griffith, em Intolerância (1916), pula de uma época a outra rapidamente. E, com a linguagem cada vez mais rápida e acesso a muita informação, tu podes utilizar o poder do audiovisual e concentrar muita coisa num tempo curto, mudando de um registro para outro. Pensar na linguagem é quase um tema do meu trabalho.



Qual o peso do roteiro na qualidade do filme?

O roteiro é peça fundamental e o ponto de partida de um filme. Ele é uma forma de expressão, mas há algumas técnicas que podem ser aprendidas. Quase todos os bons roteiros quebraram regras. É difícil quebrá-las e, para quebrar, é bom conhecê-las. Tem de trabalhar muito no roteiro antes de começar a filmar. Um filme é caro, com uma equipe grande, e é difícil na montagem refilmar coisas. No roteiro, não. Você escreve e reescreve sozinho. Mas o filme é o resultado de um trabalho coletivo. No Brasil, a qualidade do roteiro tem melhorado, pois as pessoas se deram conta de que precisam trabalhar mais na história. Porém, ao mesmo tempo, faltam roteiristas no Brasil. Há bons e novos roteiristas, mas ainda é a maior carência, pois eles são um ser de dois mundos. Tem de saber escrever e gostar de cinema. E quem não lê não sabe escrever.



Fonte: Revista Língua Portuguesa

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Dicas Culturais do Fim de Semana - 23 a 25 de novembro

CINEMA



Disparos [Brasil, 2012], de Juliana Reis (H2O Films). Gênero: ação. Elenco: Gustavo Machado, Caco Ciocler, Julio Adrião, Thelmo Fernandes, Ernani Moraes. Sinopse: A história de um fotógrafo que se envolve num caso de violência ordinária, sem se saber vítima, cúmplice ou testemunha. Um filme de urgência que tenta captar o instante de um personagem e de toda uma sociedade junto com ele. Duração: 100 min. Classificação: 14 anos.




Curvas da vida [Trouble with the Curve, EUA, 2012], de Robert Lorenz (Warner). Gênero: drama. Elenco: Clint Eastwood, Amy Adams, John Goodman, Justin Timberlake, Matthew Lillard. Sinopse: Um velho e doente olheiro de baseball leva sua filha para a sua última viagem de recrutamento de jogadores. Abertura nos EUA: US$ 12,1 milhões (em 21/09/2012). Dif. (segundo fim de semana): -40,2%. Acumulado nos EUA: US$ 35,2 milhões. Duração: 111 min. Classificação: 12 anos.




As palavras [The Words, EUA, 2012], de Brian Klugman e Lee Sternthal (Imagem). Gênero: drama. Elenco: Bradley Cooper, Jeremy Irons, Zoe Saldana, Olivia Wilde, Dennis Quaid. Sinopse: Escritor no auge da carreira descobre que deve pagar um alto preço por ter roubado o trabalho de outra pessoa. Abertura nos EUA: US$ 4,7 milhões (em 07/09/2012). Dif. (segundo fim de semana): -39,8%. Acumulado nos EUA: US$ 11 milhões. Duração: 96 min. Classificação: 12 anos.



Rio de Janeiro

SHOW

Creed
23 de novembro de 2012



Estão à venda os ingressos para o show que a banda Creed faz dia 23 de novembro, no Citibank Hall. A compra pode ser feita pelo telefone 4003-5588, no site ou na bilheteria da casa (diariamente, do meio-dia às 20h).

Em 17 anos de carreira, o quarteto norte-americano possui mais de 35 milhões de álbuns vendidos e já recebeu, entre diversos prêmios, um Grammy de Melhor Canção de Rock, por “With arms wide open” (2001). No show que trazem ao Brasil, eles lembram as músicas desse trabalho e outros hits como “My sacrifice”, “Higher”, “One last breath” e “One”.

Local: Citybank Hall RJ
Endereço: Av. Ayrton Senna, 3000 - Barra da Tijuca - Rio de Janeiro - RJ
Horário: 21h30
Preço: Os ingressos variam de R$150 a R$300
Classificação: 15 anos


TEATRO

O homem travesseiro
de 22 de novembro a 30 de dezembro de 2012



Até que ponto a ficção interfere na realidade? Qual o domínio do artista sobre o impacto de sua obra na sociedade? Essas questões são colocadas em xeque em “O homem travesseiro”, que chega amanhã aos palcos do Laura Alvim, com direção de Bruce Gomlevsky.

Local: Teatro do Leblon
Endereço: Rua Conde Bernadote, 26 - Leblon - Rio de Janeiro - RJ
Horário: Quinta, Sexta e Sábado às 21h | Domingo às 20h
Duração: 180 min.
Preço: R$50 (qui e sex) | R$60 (sab e dom)
Classificação: 16 anos


EXPOSIÇÃO

Firme Forte Records — Ananda Nahu e Izolag Armeidah
até 12 de janeiro de 2013



A dupla Ananda Nahu e Izolag Armeidah apresenta cerca de 30 trabalhos, entre cartazes revolucionários russos e chineses, pôsteres da pop art, caligrafias, gravuras orientais e propagandas publicitárias e políticas. Entre as técnicas usadas, estêncil com tinta acrílica, litogravura e gravura em metal.

Local: Graphos: Brasil
Endereço: Rua Siqueira Campos, 143 – Copacabana - Rio de Janeiro - RJ
Horário: Segunda a Sábado, das 11h às 19h
Preço: Gratuito
Classificação: Livre

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Você está mentindo?



Nós não nos comunicamos apenas com palavras, nosso corpo tem muito a dizer e revelar. Um estudo mais profundo sobre linguagem corporal é capaz de identificar se um indivíduo está ou não mentindo. Esse trecho do filme O negociador ilustra bem o que a linguagem corporal é capaz de revelar.

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

[Resenha] Comunicação do corpo

O livro Comunicação do Corpo, trata, como está explicito no título, sobre as diversas formas de se comunicar com o corpo. Os autores afirmam que além da comunicação verbal, que é a mais conhecida, nós também nos comunicamos através do corpo. Quando se fala em comunicação corporal, vem logo à mente, expressões corporais que dizem alguma coisa, como seu estado de espírito, seu desejo, etc.

Nesse livro, Eles mostram vários exemplos de comunicação corporal, dentre elas, podemos destacar algumas, como por exemplo, a forma de movimentar o corpo, podendo dar a indicação de medo ou insinuação, como no caso, se a pessoa está sentada e balança as pernas, pode indicar nervosismo, ansiedade, ou se a pessoa fica olhando para os lados o tempo todo, pode mostrar que está nervosa, com medo ou a espera de alguém.Como podemos ver, são inúmeras, as formas de se comunicar com o corpo.

Trinta e Rector, analisam que a comunicação pode ser feita, não somente com o corpo, como um todo, e sim em partes, como pode-se observar no caso do olhar, se uma pessoa te olha de lado, pode estar querendo dizer que está desconfiada, mas também pode estar se insinuando para você, mas se te encara de frente, demonstra que está com segurança no assunto ou que esta querendo te desafiar.

Tem varias outras formas de comunicação corporal que fazemos, mas simplesmente passamos por cima, não analisamos (percebemos) como sendo uma forma de comunicação, como por exemplo, ninguém ainda parou para pensar que a respiração é uma forma de se comunicar, se você chega perto de alguém e suspira, está indicando, dependendo da ocasião, que está apaixonado, mas também pode indicar que está cansado.

O modo de sentar à mesa, na hora das refeições, é uma forma de comunicar, se teve ou não boa educação, ou a falta dela, se tem bons modos e até mesmo se é uma pessoa de posses ou não, dependendo apenas de como ?tratar? o manuseio dos talheres.

Mas, Eles enfatizam, que toda essa ?comunicação?, vai de encontro à cultura da pessoa, cultura essa, que nos é passada de geração em geração, através de nossos pais, parentes, pessoas próxima, meio social em que vivemos, enfim toda forma de comunicação, seja verbal ou não verbal, vai mudar dependendo da região; um bom exemplo disso é, se alguém, aqui no Brasil, der um beijo na testa de outra pessoa, significa afeto, geralmente é usado entre pais e filhos, mas, se isso é feito na Arábia Saudita, já tem um significado totalmente diferente, esse gesto é usado lá, como um pedido de desculpas.

Mas é importante o que eles, analisam, que toda comunicação depende do estado de espírito da pessoa, bem como da educação que ela teve, grau de afinidade entre as pessoas envolvidas nessa comunicação, dentre outros; quando os autores analisam a parte da cinésica, afirmam que a comunicação corporal tem símbolos, assim como a verbal, mas na maioria dos casos esses, são involuntários, portanto difícil às vezes de entender, dando margem à más interpretações de alguns desses sinais.

Rector e Trinta concluem em seu livro, que existem varias formas, corporais, de se comunicar, olhar, movimentos de cabeça, as mãos, gestos, posições do corpo, movimentos do corpo, os objetos manuseados, os ruídos, o olfato, o tato, a forma de se vestir, as formas de pronunciar as palavras, as manifestações psicofisiológicas, a forma de ouvir, o beijo, o abraço, o paladar, dentre muitos outros, porém, muitos podem ser tidos como involuntários, como dito anteriormente, mas mesmo assim, não deixam de ser uma forma de comunicação.

Para ambos, o corpo consegue na maioria das vezes, ser mais expressivo até mesmo do que a palavra, e também, que todos podem se comunicar seja dando a informação ou recebendo-a é que podemos de certa forma entender os outros, até mesmo sem falar, propriamente, tudo se dá través da comunicação, e agora ja sabemos que a comunicação não é somente falada ou escrita, A comunicação na analize dos escritores, é o principio da vida

Fonte: Net Saber

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Dicas Culturais do Feriadão - 14 a 20 de novembro

CINEMA



A saga Crepúsculo: Amanhecer – O final [The Twilight Saga: Breaking Down – The Final, EUA, 2012], de Bill Condon (Paris). Gênero: romance. Elenco: Kristen Stewart, Robert Pattinson, Taylor Lautner, Dakota Fanning. Sinopse: Depois do nascimento de Renesmee, os Cullens juntam outros clãs de vampiros para proteger a criança contra as alegações que os colocam contra os Volturi. Duração: 117 min. Classificação: 12 anos.




E agora, aonde vamos? [Et maintenant on va où?, França, 2011], de Nadine Labaki (Vinny). Gênero: comédia. Elenco: Nadine Labaki, Claude Baz Moussawbaa, Leyla Hakim, Yvonne Maalouf. Sinopse: Um grupo de mulheres libanesas tenta diminuir a tensão religiosa entre cristãos e mulçumanos no vilarejo em que vivem. Duração: 110 min. Classificação: 14 anos.




Era uma vez eu, Verônica [Brasil, 2012], de Marcelo Gomes (Imovision). Gênero: drama. Elenco: Hermilia Guedes, João Miguel, W.J Solha. Sinopse: Verônica, uma residente de medicina, passa por um momento de incertezas. Ela questiona suas escolhas profissionais, relações íntimas e sua capacidade de lidar com a vida. Duração: 90 min. Classificação: 16 anos.




5x pacificação [Brasil, 2012], de Cadu Barcellos, Luciano Vidigal, Rodrigo Felha e Wagner Novais (H2O/RioFilme). Gênero: documentário. Sinopse: Um raio-x das favelas cariocas depois da implantação das Unidades de Polícia Pacificadoras (UPPs). Duração: 96 min. Classificação: 10 anos.


Rio de Janeiro

SHOW

Arlindo Cruz e Rogê
14 de novembro de 2012



A dupla de sambistas comemora a parceria na confecção de seus novos trabalhos. A noite começa com o show de Rogê, que divulga seu quarto álbum, “Brenguelé”, produzido por Kassin e que tem duas músicas escritas com Arnaldo, a faixa-título e “Na veia”. Na sequência, Arlindo apresenta o repertório de seu novo DVD, “Batuques do meu lugar”, que conta com a participação de Rogê na gravação das faixas “Quero” e “Suingue”, e na composição de outras quatro músicas: “Batuques do meu lugar”, “Quero balançar”, “Pelo litoral” e “Suingue de samba”. No intervalos, o DJ Fukô comanda a pista da lona.

Local: Circo Voador
Endereço: Rua dos Arcos, S/N - Lapa - Rio de Janeiro - RJ
Horário: 23h
Preço: R$60 (inteira) R$30 (meia)
Classificação: 18 anos.


TEATRO

Nós sempre teremos Paris
até 21 de novembro de 2012



Com o nome retirado de uma das mais célebres frases do cinema mundial – a cena final de Casablanca – e ambientada num café no Boulevard Montparnasse, a peça é uma comédia romântica embalada pelo repertório francês mais amoroso do século XX.
Acompanhados por 3 músicos tocando ao vivo, os atores cantam canções francesas que contam a história de encontros e desencontros de um casal. No repertório, músicas como "La Mer", de Charles Trénet e "La vie en rose", de Edith Piaf.

Local: Teatro das Artes
Endereço: R. Marquês de São Vicente 52 – 2º andar - Gávea - Rio de Janeiro - RJ
Horário: Terça às 21h | Quarta às 19h
Duração: 70 min.
Preço: R$ 60
Classificação: Livre



EXPOSIÇÃO

O globo da morte de tudo
até 17 de fevereiro de 2012



Nuno Ramos e Eduardo Climachauska exibem uma instalação homônima que ocupa 200 m², no térreo da galeria. Já no segundo piso, Nuno Ramos mostra cinco desenhos inéditos da série “Schreber”, em tinta a óleo, folhas de ouro e prata, carvão e tecido sobre papel.

Local: Anita Schwartz Galeria de Arte
Endereço: Rua Jose Roberto Macedo Soares, 30 - Gávea - Rio de Janeiro - RJ
Horário: Segunda a Sexta, das 10h às 20h | Sábado, das 12h às 18h
Preço: Gratuito
Classificação: Livre

terça-feira, 13 de novembro de 2012

[Entrevista] com Bernard Schneuwly

Por Denise Pellegrini

Você pode não conhecê-lo pelo nome, mas o trabalho do suíço Bernard Schneuwly, professor da Universidade de Genebra, já deixou de ser novidade há algum tempo, principalmente para quem leciona Língua Portuguesa. Suas ideias sobre gêneros e tipos de discurso e linguagem oral estão nos Parâmetros Curriculares Nacionais. Desde a década de 1980, o psicólogo e doutor em Ciências da Educação, pesquisa como a criança aprende a escrever. Os estudos resultaram na criação de sequências didáticas para ensino de expressão escrita e oralidade. Os conceitos presentes nesse material didático se difundem aos poucos no Brasil. Schneuwly vem colaborando com a Pontifícia Universidade Católica de São Paulo em trabalhos na área e pesquisadores da instituição estão publicando uma coleção com sequências didáticas inspiradas no modelo suíço. A seguir, os principais trechos da entrevista que ele concedeu a NOVA ESCOLA.

O que seus estudos propõem de novo no ensino da língua?

Bernard Schneuwly: Colocamos a questão da comunicação no centro do ensino da língua materna. Esta é a mudança mais significativa: dar às crianças mais possibilidades de ler, de escrever textos, de aprender gramática e ortografia em função da comunicação.



As aulas de gramática devem ser dadas em função dos textos?

Schneuwly: É essencial ensinar as crianças a ler e a produzir textos. Quando começam a estudar elas têm de realizar essas tarefas e, de maneira geral, não se dá importância suficiente à questão. Isso não significa deixar de dar também um pouco de gramática à parte. É possível fazer isso analisando sentenças complexas extraídas dos próprios textos. Há ainda uma outra maneira, mais forte na Suíça: pedir que os estudantes escrevam sentenças que depois são usadas para análise e aprendizado.



Quanto tempo da aula deve-se dedicar à gramática?

Schneuwly: Em meu país, e eu sei que aqui acontece o mesmo, cerca de 70% ou 80% do ensino da língua corresponde a gramática e ortografia e apenas 20% ou 30% a leitura e escrita. Temos trabalhado para chegar a um equilíbrio. Além disso, acho que há gramática demais nas séries iniciais e de menos nas finais. Na Suíça, depois do ensino elementar, os estudantes aprendem apenas literatura. Mas há problemas gramaticais complexos que poderiam ser estudados por jovens de 16, 17, 18 anos.



Por que há um peso maior em ortografia e gramática?

Schneuwly: Porque é mais fácil dar aulas sobre esses dois temas. Existem livros didáticos e dicionários disponíveis. No entanto, muitos educadores não sabem o que fazer no momento de trabalhar leitura e escrita. Eles precisam de material para isso.



É o trabalho que o senhor vem desenvolvendo na Suíça?

Schneuwly: Sim. Em 1990 houve uma demanda oficial do governo para que o grupo de pesquisa do qual faço parte criasse um material que ajudasse a ensinar expressão escrita e oralidade. Ao mesmo tempo os docentes diziam, em congressos, que precisavam lecionar comunicação mas não tinham métodos. O fato de os professores terem pedido mudanças foi muito importante. Era sinal de que eles estavam prontos para adaptar-se. Mais do que se tivesse havido uma imposição.



A oralidade também é trabalhada?

Schneuwly: Sim. As crianças a desenvolvem ao fazer uma entrevista, participar de um debate ou expor um tema para uma platéia, por exemplo.



Recursos como esses conseguem mudar o trabalho do docente? Ou ele precisa de mais formação?

Schneuwly: Esse é um problema importante e sua solução deve levar um longo tempo. Há dois pontos envolvidos. Um é a formação inicial. A nova geração tem uma educação melhor e consegue trabalhar da maneira que propomos com mais facilidade. Por outro lado, há a necessidade de formar aqueles que já estão na ativa, que são numerosos. Com o material em mãos, a capacitação pode se dar na teoria e na prática.

Leia a entrevista na íntegra no site da Revista Nova Escola.

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

A Linguagem Corporal na Entrevista de Emprego



A linguagem corporal se refere a todas as expressões através dos movimentos, posturas ou gestos que interagem com o receptor da mensagem. Para ter sucesso em uma entrevista de emprego não é somente necessário se preparar verbalmente, as outras formas de comunicação são tão relevantes para o entrevistador, mesmo que inconscientemente, do que as respostas dadas pelo entrevistado.

Aproximadamente 70% da comunicação humana se baseia em gestos e atitudes corporais, por isso é importante em uma entrevista de emprego que se passe uma imagem positiva através da linguagem corporal. Atráves de gestos e atitudes corporais pode se mostrar confiança, credibilidade e interesse pela empresa em que se está procurando trabalhar. É importante saber usar a linguagem corporal a seu favor, os entrevistadores são treinados para compreender esta linguagem, e através desta poder passar informações que podem não ter sido passadas verbalmente.

Não é possível controlar totalmente a sua linguagem corporal, porém você pode ver abaixo qual a interpretação dada a posturas comuns em entrevistas de empregos.

Corpo Inclinado em Direção a Outra Pessoa: Atitude positiva, demonstra interesse pela outra pessoas e pelo assunto que está sendo discutido na conversação.
Braços Cruzados: Relacionado à postura defensiva, pode identificar que o entrevistado não se sente confortável ou confiante naquele ambiente em que se está fazendo a entrevista. Uma atitude negativa.
Sobrancelhas: É impossível não revelar informações atráves das sobrancelhas, estas podem passar uma atitude postiva quando arqueadas, mostrando interesse, ou quando franzidas podem significar certa dúvida, uma atitude negativa. Gestos Repetitivos: Fazer gestos repetitivos durante uma entrevista de emprego pode demonstrar ao entrevistador certa ansiedade, mostrando para ele que você quer que a entrevista acabe. Uma atitude negativa.
Gestos com as Mãos e Braços: A utilização destes gestos, sem exagero ou repetição, é uma atitude positiva. Os estudos de linguagem corporal mostram que o uso de tais artifícios indicam que o entrevistado possui convicção naquilo que ele está falando para o entrevistador, utilize este recurso sem exageros para que ele não se tranforme em uma atitude negativa como demonstrada na atitude de gesto repetitivo.

Embora seja muito difícil se lembrar de cada uma destas atitudes, é preciso possuir conhecimento destas para não se passar uma imagem negativa. Porém é importante ressaltar que a principal característica procurada pelo entrevistador é a naturalidade, procure não se atar somente as recomendações deste artigo e tente adaptá-las as suas atitudes já utilizadas previamente.

Fonte: Entrevista de Emprego

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Dicas Culturais do Fim de Semana - 9 a 11 de novembro

CINEMA



Argo [EUA, 2011], de Ben Affleck (Warner). Gênero: drama. Elenco: Ben Affleck, John Goodman, Bryan Cranston, Michael Parks. Sinopse: Durante uma crise em 1979 envolvendo reféns em Teerã, capital Iraniana, um agente da CIA e um maquiador de Hollywood criam um falso filme para tentar tirar clandestinamente americanos do Irã. Abertura nos EUA: US$ 19,4 milhões. Dif. (segundo fim de semana): -15,5%. Acumulado nos EUA: US$ 75,8 milhões. Duração: 120 min. Classificação: 14 anos.




Em nome de Deus [Captive, França/Filipinas, 2012], de Brillante Mendoza (Pandora). Gênero: drama. Elenco: Isabelle Huppert, Mercedes Cabral, Maria Isabel Lopez, Joel Torre, Raymond Bagatsing. Sinopse: Baseado em um fato real, o filme mostra o período em que Thérèse Bourgoin, funcionária de uma organização humanitária nas Filipinas, é sequestrada por engano junto com uma colega por um grupo extremista islâmico. Duração: 120 min. Classificação: 16 anos.




Histeria [Hysteria, Reino Unido/França/Alemanha/Luxemburgo, 2012], de Tanya Wexler (Imagem). Gênero: comédia. Elenco: Maggie Gyllenhaal, Hugh Dancy, Felicity Jones, Rupert Everett. Sinopse: Uma comédia romântica sobre a invenção do vibrador. Duração: 100 min. Classificação: 14 anos.




Marcados para morrer [End of Watch, EUA, 2012], de David Ayer (California). Gênero: drama. Elenco: Jake Gyllenhaal, Michael Peña, America Ferrera, Anna Kendrick. Sinopse: Depois de confiscarem um pequeno montante de dinheiro e algumas armas de membros de um temido cartel de drogas, dois jovens policiais são jurados de morte. Abertura nos EUA: US$ 13,1 milhões (em 21/09/2012). Dif. (segundo fim de semana): -40,6%. Acumulado nos EUA: US$ 38,5 milhões. Duração: 109 min. Classificação: 14 anos.




Peixonauta – Agente Secreto da O.S.T.R.A [Brasil, 2012], de Célia Catunda e Kiko Mistrorigo (Polifilmes). Gênero: animação. Sinopse: Peixonauta se prepara para uma nova aventura, agora como agente especial O.S.T.R.A. Para conquistar a insígnia ele terá que cumprir sete missões, com a ajuda de seus amigos Marina e Zico. Duração: 95 min. Classificação: livre.




Virando bicho [Brasil, 2012], de Alexandre Carvalho e Silva Fraiha (Fraiha Produções). Gênero: documentário. Sinopse: O filme mostra os desafios de seis jovens se preparando para o vestibular, e o momento em que recebem o resultado. Duração: 75 min. Classificação: livre.


Rio de Janeiro

SHOW

Lady Gaga
9 de novembro de 2012



O show da turnê mundial "Born this way ball" de Lady Gaga chega ao Rio nesta sexta-feira, no Parque dos Atletas. Cinco vezes ganhadora do Grammy, Lady Gaga sai pelo mundo com a turnê “Born this way ball” e apresenta as músicas do seu último álbum, “Born this way”, além das composições de “The fame” e “The fame monster”. A série de shows que estreou na Coreia do Sul, em 27/4, passa pela Europa, e também por México, Porto Rico, Brasil, Argentina e Chile. O show conta com a participação do grupo britânico The Darkness e da DJ Lady Starlight.

Local: Parque dos Atletas
Endereço: Avenida Salvador Allende, s/n° - Barra da Tijuca - Rio de Janeiro - RJ
Horário: 22h30
Preço: Os ingressos variam de R$180 a R$750
Classificação: 14 anos.


TEATRO

Édipo Rei
até 23 de dezembro de 2012



A clássica tragédia grega de Sófocles conta a história de homem que é coroado Rei de Tebas (Gustavo Gasparani) após assassinar o pai e que, vítima de uma maldição, acaba se casando, sem saber, com a própria mãe, Jocasta (Eliane Giardini).

Local: Espaço SESC
Endereço: Rua Domingos Ferreira, 160 - Copacabana - Rio de Janeiro - RJ
Horário: Quinta, Sexta e Sábado às 21h | Domingo às 19h30
Preço: R$ 20


EXPOSIÇÃO

Maria-Carmen Perlingeiro - Luz de pedra
de 10 de novembro a 13 de janeiro de 2013



Residente em Genebra, na Suíça, a artista carioca exibe esculturas de caráter artesanal, entre elas “Dois irmãos”, “A bela e a fera”, “As horas” e "Micas", "As horas". Após 30 anos sem expôr no Rio, Maria-Carmen apresenta trabalhos produzidos nos últimos anos, em sua maioria com o manuseio de pedras. Curadoria de Cristina Burlamaqui.

Local: Museu de Arte Moderna - MAM
Endereço: Av. Infante Dom Henrique, 85 - Flamengo - Rio de Janeiro - RJ
Horário: Terça a Sexta, das 12h às 18h | Sábado e Domingo, das 12h às 19h
Preço: R$12
Classificação: Livre

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Afinal, o que é linguagem?

Programa da disciplina Educação e Linguagem da Univesp, procura responder a pergunta: o que é linguagem? e mostra como linguagem e educação se relacionam.





Fonte: Univesptv

terça-feira, 6 de novembro de 2012

[Entrevista] A interação por meio da linguagem



Neste vídeo, Cláudio Bazzoni, assessor da Prefeitura de São Paulo, trata das diferentes concepções de linguagem que pautaram o ensino de Língua Portuguesa no século 20 e explica como as práticas de leitura e de escrita devem ser ensinadas na escola.

Fonte: Nova Escola

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

O que é linguagem?



Linguagem é o meio pelo qual o homem comunica suas ideias e sentimentos, seja através da fala, da escrita ou de outros signos convencionais. Linguística é o nome da ciência que se dedica ao estudo da linguagem.

Na linguagem do cotidiano, o homem faz uso da linguagem verbal e não-verbal para se comunicar. A linguagem verbal integra a fala e a escrita (diálogo, informações no rádio, televisão ou imprensa, etc.). Todos os outros recursos de comunicação como imagens, desenhos, símbolos, músicas, gestos, tom de voz, etc., fazem parte da linguagem não-verbal.

A linguagem corporal é um tipo de linguagem não-verbal, pois determinados movimentos corporais podem transmitir mensagens e intenções.

Linguagem mista é o uso da linguagem verbal e não-verbal ao mesmo tempo. Por exemplo, uma história em quadrinhos integra, simultaneamente, imagens, símbolos e diálogos.

Dependendo do contexto social em que a linguagem é produzida, o falante pode usar a linguagem formal (produzida em situações que exigem o uso da linguagem padrão, por exemplo, salas de aula ou reuniões de trabalho) ou informal (usada quando existe intimidade entre os falantes, recorrendo a expressões coloquiais).

As linguagens artificiais (que são criadas para servirem a um fim específico, por exemplo, a lógica matemática ou a informática) também são designadas por linguagens formais. A linguagem de programação de computadores é uma linguagem formal que consiste na criação de códigos e regras específicas que processam instruções para computadores.

Fonte: Significados.com.br

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Dicas Culturais do Feriadão - 1 a 4 de novembro

CINEMA



Astro – Uma fábula urbana em um Rio de Janeiro mágico [Brasil, 2012], de Paula Trabulsi (Elo Company). Gênero: drama. Elenco: Alexandra Dahlström, Verônica Debom, Regina Duarte, Claudio Cavalcante, Odilon Wagner. Sinopse: Jovem filha de mãe brasileira e pai sueco vem ao Brasil receber um casarão de herança e acaba ficando mais tempo do que imaginava. Duração: 80 min.




Elefante branco [Elefante blanco, Argentina/Espanha/França, 2012], de Pablo Trapero (Paris). Gênero: drama. Elenco: Ricardo Darín, Jérémie Renier, Martina Gusmán. Sinopse: Os padres Julián e Nicolas, junto com a assistente social Luciana lutam para solucionar os problemas sociais do bairro. Porém seus esforços entrarão em conflito com a igreja, governo, narcotráfico e polícia. Duração: 110 min. Classificação: 16 anos.




Frankenweenie [EUA, 2012], de Tim Burton (Disney). Gênero: animação. Vozes: Winona Ryder, Catherine O’Hara, Martin Short, Christopher Lee. Sinopse: Depois que seu cachorro morre atropelado, o menino Victor tenta trazê-lo de volta a vida. Com exibição em 3D. Abertura nos EUA: US$ 11,4 milhões (em 05/10/2012). Dif. (segundo fim de semana): -38,2%. Acumulado nos EUA: US$ 22 milhões. Duração: 87 min. Classificação: 10 anos.




Laurence Anyways [Canadá/França, 2012], de Xavier Dolan (Imovision). Gênero: drama. Elenco: Melvil Poupaud, Suzanne Clément, Natalie Baye e Yves Jacques. Sinopse: A história do amor impossível entre uma mulher e um homem que decide mudar de sexo. Duração: 159 min.




Magic Mike [EUA, 2012], de Steven Soderbergh (Imagem). Gênero: comédia. Elenco: Channing Tatum, Alex Pettyfer, Matthew McConaughey, Olivia Munn. Sinopse: Stripper veterano ensina jovem iniciante a conseguir dinheiro fácil, festejar e conseguir mulheres. Abertura nos EUA: US$ 39,1 milhões (em 29/06/2012). Dif. (segundo fim de semana): -60%. Acumulado nos EUA: US$ 113 milhões. Duração: 110 min. Classificação: 16 anos.




O mar não está prá peixe: Tubarões à vista [The Reef: High Tide, EUA, 2012] de Mark A.Z. Dippé (Playarte). Gênero: animação. Vozes: Rob Schneider, Busy Philipps. Sinopse: Desta vez Pi, único peixe que enfrenta tubarões, terá que lutar contra um grupo deles, para defender seu território. Com exibição em 3D. Duração: nd. Classificação: livre.




Onde a coruja dorme [Brasil, 2010], de Márcia Derraik e Simplício Neto (RioFilme). Gênero: documentário. Sinopse: A relação de Bezerra da Silva com seus compositores, garimpados nos morros e na Baixada Fluminense. Duração: 71 min. Classificação: 12 anos.




Possessão [The Possession, EUA, 2012], de Ole Bornedal (Paris). Gênero: horror. Elenco: Jeffrey Dean Morgan, Kyra Sedgwick, Madison Davenport. Sinopse: Jovem compra uma caixa antiga sem saber que dentro do objeto existe um antigo espírito malicioso. Os pais da menina se juntam para lutar contra a maldição que a domina. Abertura nos EUA: US$ 17,7 milhões (em 31/08/2012). Dif. (segundo fim de semana): -47,5%. Acumulado nos EUA: US$ 48,3 milhões. Duração: 92 min. Classificação: 14 anos.




Três histórias, um destino [Destiny Road, EUA/Brasil, 2012], de Robert C. Treveiler (Art Films/Serendip). Gênero: drama. Elenco: Daniel Zacapa, Zoe Myers, Traci Dinwiddie, Lu Alone. Sinopse: Baseado no livro homônimo do missionário R.R. Soares, o filme é centrado em três personagens: Frank, pastor de uma pequena cidade. Jeremias, um menino nascido numa favela, que se envolve com drogas e crimes. E Elizabeth, que foi criada por uma mãe superprotetora e depois de casar afasta-se da igreja. Duração: 106 min. Classificação: 10 anos.



Rio de Janeiro

SHOW

Q! Balanço - Jorge Ben Jor, Naldo, Benditos e Oba Oba Samba House
1º de novembro de 2012



Véspera de feriado, primavera-verão carioca, nada mais justo que chamar o mestre do samba-rock, o cara que mantém gerações empolgadas em seus shows. JORGE BEN JOR promete cantar dos clássicos eternos, que todo mundo sabe de cor, às “novas” canções. Lógico, tem tudo para animar a festa.

Para complementar, o cantor NALDO, novo fenômeno da música pop brasileira, apresenta sucessos novos e antigos para levantar a galera que estiver a fim de muita música e animação.

Rodrigo Lampréia e Beto Landau comandam o show dos BENDITOS. Em uma frase resumem o que irá acontecer: “Pra bem dizer o amor, a simpatia, a música e a alegria”!

Além das três atrações genuinamente cariocas, a festa abre as portas do VIVO RIO para o OBA OBA SAMBA HOUSE, quarteto paulista que vem lotando todos os seus shows Brasil afora com um repertório que é a mistura do samba tradicional brasileiro com a modernidade da música eletrônica.

Local: Vivo Rio
Endereço: Avenida Infante Dom Henrique, 85 - Parque do Flamengo - Rio de Janeiro – RJ
Horário: 23h
Preço: Os ingressos variam de R$45 a R$190
Classificação: 18 anos.


TEATRO

O desaparecimento do elefante
até 25 de novembro de 2012



As diretoras Monique Gardenberg e Michele Matalon adaptam para o palco uma coletânea de contos escritos pelo autor japonês Haruki Murakami durante a década de 80.
Murakami nasceu em Kioto em 1949 e equilibra popularidade e prestígio com a crítica especializada. Livros como 'Do que eu falo quando falo de corrida', 'Após o anoitecer' e 'Kafka à beira-mar' são algumas das obras traduzidas em dezenas de idiomas.

Local: Teatro Fashion Mall
Endereço: Estrada da Gávea, 899 - LJ. 213 - São Conrado - Rio de Janeiro – RJ
Horário: Sextas e sábados às 21h | domingos às 20h
Duração: 120 min.
Preço: Sexta R$70 (Inteira) | Sábado e Domingo R$80 (inteira)


EXPOSIÇÃO

Raul Mourão - “Tração animal”
até 2 de dezembro de 2012



Na exposição “Tração animal”, a primeira individual do artista no MAM, três espaços abrigam dez esculturas cinéticas de grandes dimensões, o vídeo "Plano/acaso” e uma instalação, feita especialmente para a mostra, que envolve um jogo de luz e sombra.

Local: Museu de Arte Moderna - MAM
Endereço: Av. Infante Dom Henrique, 85 - Flamengo - Rio de Janeiro - RJ
Horário: Terça a Sexta, das 12h às 18h | Sábado e Domingo, das 12h às 19h
Preço: Gratuito
Classificação: Livre

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Como colorir suas ilustrações no Photoshop



Mais uma vez Victor Carvalho nos ensina uma técnica bem legal para tornar suas ilustrações ainda melhores. Confira!

terça-feira, 30 de outubro de 2012

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Dicas Culturais do Fim de Semana - 26 a 28 de outubro

CINEMA



007 – Operação Skyfall [Skyfall, Reino Unido/EUA, 2012], de Sam Mendes (Sony). Gênero: ação. Elenco: Daniel Craig, Javier Bardem, Judi Dench, Ralph Fiennes. Sinopse: Vigésima terceira aventura do agente secreto James Bond. Duração: 143 min.




Gonzaga, de pai para filho [Brasil, 2011], de Breno Silveira (Downtown/Paris/RioFilme). Gênero: drama. Sinopse: A vida e trajetória de dois artistas numa mesma obra. A história de um é entrelaçada à do outro. Duas vidas que se mostram indissolúveis, predestinadas. Duração: 120 min. Classificação: 12 anos.


Rio de Janeiro

SHOW

Seu Jorge
27 de outubro de 2012



O músico volta ao palco da Fundição Progresso para cantar as músicas do álbum "Músicas para churrasco — Volume 1", que tem os hits "A doida", "A vizinha", "Véia" e "Amiga da minha mulher". Sucessos antigos como "Burguesinha", "Mina do condomínio" e "Carolina" também estão no repertório da noite. A abertura é com a cantora Micheline Cardoso, que mostra o repertório de seu quinto álbum, “Roda de samba plugada”.

Local: Fundição Progresso
Endereço: Rua dos Arcos, 24 - Lapa - Rio de Janeiro - RJ
Horário: 23h
Preço: R$140 (inteira) R$70 (meia)
Classificação: 18 anos.


TEATRO

A tempestade
de 26 de outubro a 16 de dezembro de 2012



Montagem da Cia. PeQuod para o clássico que conta a história de um homem que, 12 anos após ser abandonado pelo irmão numa ilha deserta, aprofunda seus estudos de magia e torna-se capaz de manipular as forças da natureza.

Local: Teatro Municipal do Jockey
Endereço: Av. Bartolomeu Mitre, 1.110 - Gávea - Rio de Janeiro - RJ
Horário: Sexta, Sábado e Domingo às 21h
Duração: 90 min.
Preço: R$ 20
Classificação: 16 anos


EXPOSIÇÃO

Impressionismo: Paris e a modernidade
Até 13 de janeiro de 2013



A exposição traz pela primeira vez à América Latina, de Paris, 85 peças do acervo do Museu d’Orsay – um dos mais visitados do mundo. A mostra apresenta um panorama detalhado da pintura impressionista e pós-impressionista.

Local: CCBB-RJ
Endereço: Rua Primeiro de Março, 66 – Centro – Rio de Janeiro – RJ
Horário: Terça a domingo, das 9h às 21h
Preço: Entrada Franca
Classificação: Livre

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

[Resenha] The art of Ratatouille



As páginas deste livro estão cheias de desenhos do conceito, visualizações e do processo de pensamento que passou por trás da produção de Ratatouille. Através dessas páginas, você vai chegar a uma percepção de que o seu sucesso não é obra do acaso.

Os criadores viajaram para a França para pesquisar sobre restaurantes, comida e as pessoas. O esforço e o nível de detalhe que, na investigação, pode ser claramente visto a partir da arte do livro. O conceito de arte e renderização da comida em 3D dão a sensação de veracidade, quase como se sentíssemos o gosto real dos alimentos.

O livro traz ainda um monte de desenhos de personagens para os seres humanos, assim como para os ratos. Modelos esculpidos também são fornecidos em fotos. Os storyboards na íntegra são seguidos à risca no filme. As composições e iluminação são uma forma de arte em si.

O livro The art of Ratatouille de Karen Paik está disponível para consulta e empréstimo na Biblioteca ESPM Rio, unidade 90. Localização: 791.43-252 P162a

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Como desenhar expressões faciais

Acredito que as expressões faciais dão vida e personalidade ao personagem, por isso, selecionamos mais um vídeo do Vitor Carvalho onde ele ensina como desenhar as expressões faciais de seus personagens. Divirtam-se!

terça-feira, 23 de outubro de 2012

[Entrevista] com o Artista e Ilustrador Pirecco

Entrevista concedida para Marcos Torres do site Abduzeedo



É sempre um grande prazer saber que temos artistas e ilustradores super talentosos no Brasil, e esse é o caso de Pirecco. A primeira vez que tive contato com o trabalho dele foi durante a Cowparade 2010, onde como eu, ele também participou como convidado e pintou sua própria vaca. Depois do evento, enquanto navegada pelos sites de artistas da Cowparade, encontrei o blog de Pirecco e fiquei impressionado com o estilo e a personalidade dele. então achei legal fazer essa entrevista.

1) Primeiramente gostaria de perguntar como começou o seu interesse por Design Gráfico e Artes Plásticas?

Meu interesse pelo Design Gráfico e Artes Plásticas começou desde muito cedo, mas só fui realmente perceber durante a faculdade. Sempre gostei muito de desenhar e morei muito tempo com minha vó que pintava, mas era puro hobbie, eu desenhava por pura diversão, nunca imaginei que isso poderia um dia se tornar minha profissão. Quando fiz vestibular, fiz para Administração e após dois anos de curso resolvi pedir transferência para o Design, antes disso eu nunca havia feito nenhum curso de desenho, ilustração, pintura...nada! E eu meus desenhos eram muito ruins tecnicamente, mas mesmo assim eu gostava bastante de praticar. O interesse pelas Artes Plásticas aconteceu bem depois, de maneira totalmente "sem querer". Após trabalhar um bom tempo em agências de propaganda e escritórios de design como diretor de arte, o pessoal começou a conhecer o meu trabalho de ilustração, então comecei a fazer diversos projetos como ilustrador e durante esse período eu continuava desenhando e arriscando umas pinturas de forma autoral em diversas superfícies. Acabou que através do meu site eu acho, o meu trabalho autoral acabou se destacando.



2) Quais são suas influências? Artistas em que você se inspira?

Bah! Essa pergunta é muito complicada de responder hehehehe...em algumas palestras que eu dei, o público perguntou isso. Eu tenho muitas referências e influências. Durante a faculdade os professores me apresentaram as referências clássicas da arte e do design, então eu não tinha muito uma opinião formada, eu simplesmente tentava olhar tudo e aprender um pouco. Também copiei muitas coisas naquela época antes de achar o meu próprio estilo. Acho que naquela época eu gostava muito de David Carson, Stefan Sagmeister, Keith Haring, Andy Worhol, Banksy, Basquiat...etc...era viciado em Toy Art, Street Art, Gary Baseman, John Burgerman, Obey...puts...são muitos. A música, o cinema, também sempre me influênciaram bastante. Atualmente eu não tenho mais referências "certeiras", pois são muitas. A internet mudou tudo e ainda vai mudar muito mais eu acho. Costumo olhar diversos sites de ilustração, design, moda e arte diariamente e é impressionante como a cada dia aparecem diversos novos artistas, designers e ilustradores excelentes. Então tudo acaba sendo referência, influência...inspiração. O importante é saber olhar e saber interpretar do seu jeito, sem ficar só copiando, ir atrás do seu próprio estilo, da sua própria história. Existem atualmente muitos trabalhos parecidos pois os artistas / ilustradores muitas vezes utilizam de referências parecidas, ou possuem histórias de vida parecidas, mas também tem muita gente que só vai na onda do momento, copiando o que está na moda. Utilizo muito como referência e inspiração para o meu trabalho também, acontecimentos do dia-a-dia, coisas que vejo na TV, nas ruas, nos jornais...etc.



3) Você possui um estilo bem peculiar, ao mesmo tempo que parece misturar elementos de várias áreas também parece algo bem único. Quando e como você desenvolveu esse estilo? Como você o descrevia nas suas palavras?

Não sei responder essa pergunta exatamente, acho que o meu estilo é uma evolução de tudo que já fiz e tudo que já vivi. Em 2006...2007 eu acho...coloquei mais de 300 desenhos que eu tinha guardados no lixo, porque um dia olhei eles e achei tudo uma grande porcaria, e realmente eram. Mas faziam parte da minha evolução, hoje me arrependo um pouco de ter feito isso. Acho que em 2008/2009 quando eu decidi largar tudo, quando pedi demissão da agência onde eu trabalhava só para me dedicar a ilustração e a minha arte autoral a coisa começou a andar e tornar forma, antes disso era de tudo um pouco, uma grande confusão. Em 2010 passei por uma experiência que mudou bastante minha vida e sem dúvida o meu trabalho. Eu morava em Vancouver com minha esposa e precisei voltar para o Brasil pois descobri que eu estava com Câncer e era muito sério, precisei fazer quimioterapia, radioterapia...etc. Acho que todas as pessoas que passam por esse tipo de experiência acabam mudando e isso acabou refletindo bastante no meu trabalho. Antes eu gostava de desenhar temas mais polêmicos, gostava de utilizar a arte como forma de protesto e atualmente está bem diferente, gosto de desenhar/pintar coisas alegres, elementos que tem um significado na minha vida, coisas que eu gosto...e tudo isso sem muita ordem. Gosto muito da definição que um amigo meu, também artista plástico e ilustrador, falou uma vez: "o trabalho do pirecco é uma grande bagunça muito bem organizada..." hehehe...e acho que é bem por aí mesmo...são diversas histórias, sentimentos, elementos...que acabam se tornando uma coisa só.



4) Hoje você trabalha no seu estúdio e é seu próprio chefe, como foi essa transição da carreira em agências para virar freelancer?

Essa transição é muito importante e foi bem tranquila pra mim, pois desde cedo, mesmo trabalhando em agências eu sempre participei de muitos projetos como freelancer, nunca fiquei parado em casa nas horas vagas. Precisava de dinheiro e também sempre gostei muito de trabalhar com Design. Então acabou sendo uma coisa quase que automática, eu aprendi muito dentro de agências e estúdios de design e aprendi muito apanhando e errando, trabalhando sozinho em casa. Atualmente, trabalhando em meu próprio estúdio, sendo meu próprio chefe, é uma mistura do que eu aprendi ao longo dos anos, mas sem dúvida jamais conseguiria trabalhar sozinho da maneira que trabalho hoje sem antes ter passado pelas agências e estúdios de design.



5) Como você descreveria seu fluxo de trabalho diário?

hehehe...é ótimo! Ainda bem! Trabalho bastante...e gosto muito do meu trabalho...então é complicado conseguir ficar parado hehehehe. Tenho uma demanda bem grande de projetos, e atualmente totalmente focado somente em trabalhos de arte e ilustração. As pessoas ainda continuam me procurando para fazer trabalhos de direção de arte, design gráfico, logotipos, etc...mas não estou fazendo mais. Acho que o foco é muito importante, não dá para ficar fazendo de tudo um pouco, então agora é realmente só arte autoral e alguns projetos de ilustração. Outro fator que me ajuda também a ter um grande fluxo de projetos é o fato de ser representado por uma empresa que agencia ilustradores e artistas. Essa empresa cuida de toda a parte burocratica, contratos, orçamentos, prospecção de novos clientes, além de estar sempre em contato com grandes agências e também me dando todo suporte quando necessário para fechamento e finalização de arquivos, além que participarem muitas vezes também na parte criativa.



6) Algumas pessoas o costumam achar que você é um Street Artist / Grafiteiro, o que você acha disso? E como esse gênero artístico influência no seu trabalho?

Eu acho engraçado, dou risada, levo isso numa boa. Hoje em dia tenho diversos amigos que são grafiteiros e brincam com isso, damos risada juntos, tem que levar numa boa. Mas eu sempre que posso deixo claro que não sou grafiteiro, não porque eu não goste, muito pelo contrário, mas pois nunca pintei nada na rua sem ser para projetos comerciais, minha trajetória foi diferente e acho sacanagem com os grafiteiros, com o pessoal da arte de rua, sair falando que sou grafiteiro...pois eles tem todos os méritos...toda a história deles...que estão na rua fazendo isso a muito tempo já. Então não acho legal da noite pro dia dizer que sou grafiteiro hehehe. Em relação ao grafite, a arte de rua como gênero artístico, sem dúvida nenhuma influenciou e continua influenciando muito o meu trabalho. Admiro muito o trabalho de muitos artistas de rua, tem muita coisa excelente por aí. Acho que o pessoal acaba achando que sou grafiteiro pois tenho um traço mais "sujo" mais "pesado"...sei lá...então acabam confundindo heehehe. Mas também, na maioria das vezes, quando me chamam de grafiteiro, são jornalistas, pessoas da mídia que não conhecem muito bem o meu trabalho e a minha história. Isso é muito comum de acontecer, hoje em dia qualquer um fala o que quer...então a chance de ter coisas erradas é grande. Mas uma coisa é certa, venho gostando muito de explorar formatos maiores de pintura e tenho diversos amigos grafiteiros me convidando para fazer uma pinturas na rua, em breve sem dúvida vou fazer, tenho bastante vontade.



7) Nos diga 5 características necessárias a todo ilustrador / artista plástico e porque.

Na realidade acho que essas cinco características que vou falar acabam valendo para qualquer profissão. - Prazer com o que faz, porque isso é o principal na minha opinião. - Personalidade, porque vivemos um período em que as pessoas estão em uma eterna busca por mais e mais informações, é muita coisa acontecendo ao mesmo tempo e todos querem saber e participar de tudo, muitas vezes sem nem mesmo saber pra quê e por quê?! Então ter personalidade, acho que é fundamental para poder se destacar. - Muita dedicação / esforço, porque assim como qualquer profissão, ao contrário do que muita gente pensa, ser ilustrador, artista, exige muita muitas horas de trabalho, muito esforço físico e mental. - Ética e Respeito, porque isso é básico hehehe... - Fé, não necessariamente por alguma "religião", mas fé no sentido de acreditar que aquilo que você faz é bom, confiar no seu trabalho.

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

A ilustração não-digital e a ilustração digital: um estudo das etapas da produção para otimização da comunicação

Este artigo contém um breve resumo da tese defendida em Poéticas Visuais, cujo título é “A ilustração não-digital e a ilustração digital: um estudo das etapas da produção para otimização da comunicação”.

Com o detalhamento dos itens mais importantes, a mentalidade da tese foi a investigação do processo de produção digital e não digital.

Leia o artigo.

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Dicas Culturais do Fim de Semana - 19 a 21 de outubro

CINEMA



Atividade paranormal 4 [Paranormal Activity 4, EUA, 2012], de Henry Joost e Ariel Schulman (Paramount). Gênero: suspense. Elenco: Katie Featherston. Sinopse: Quarto capítulo da franquia Atividade Paranormal. Duração: 88 min.




Os candidatos [The Campaign, EUA, 2012], de Jay Roach (Warner). Gênero: comédia. Elenco: Will Ferrell, Zach Galifianakis, Dylan McDermott, Jason Sudeikis. Sinopse: Comédia política sobre dois candidatos a presidência. Abertura nos EUA: US$ 26,5 milhões (em 10/08/2012). Dif. (segundo fim de semana): -50,6%. Acumulado nos EUA: US$ 84,9 milhões. Duração: 85 min. Classificação: 14 anos.




Relação explosiva [Hit and Run, EUA, 2012], de David Palmer e Dax Shepard (California). Gênero: ação. Elenco: Kristen Bell, Dax Shepard, Bradley Cooper, Beau Bridges, Michael Rosenbaum. Sinopse: Ex-piloto de fuga em programa de proteção a testemunha decide ajudar a namorada a conseguir um emprego em Los Angeles. Com isso ele acaba sendo perseguido por sua antiga gangue e pela policia. Abertura nos EUA: US$ 4,5 milhões. Dif. (segundo fim de semana): -42,9%. Acumulado nos EUA: US$ 12,5 milhões. Duração: 100 min.




As vantagens de ser invisível [The Perks of Being a Wallflower, EUA, 2012], de Stephen Chbosky (Paris). Gênero: drama. Elenco: Emma Watson, Logan Lerman, Paul Rudd, Nina Drobev. Sinopse: Garoto introvertido e novo na escola é acolhido por dois veteranos que lhe apresentam o mundo real. Abertura nos EUA: US$ 228,3 mil (em 21/09/2012). Dif. (segundo fim de semana): +383%. Acumulado nos EUA: US$ 6,1 milhões. Duração: 103 min. Classificação: 14 anos.


Rio de Janeiro


SHOW

Pitbull
20 de outubro de 2012



O rapper já fez parceria com famosos como Chris Brown, Enrique Iglesias, Usher, Shakira, Benny Blanco, Jennifer Lopez e Cypress Hill traz ao Rio a turnê "Planet Pit", de seu sexto álbum. No repertório, estão sucessos como "Give me everything", "I know you want me", "Back in time" e "Don't stop the party" e "Get it started".

Local: Arena Multiuso
Endereço: Av. Embaixador Abelardo Bueno, 3.401 - Barra da Tijuca - Rio de Janeiro - RJ
Horário: 20h
Preço: Os ingressos variam de R$120 a R$280
Classificação: 18 anos.


TEATRO

O primo Basílio
De 18 a 28 de outubro de 2012



Baseado no romance de Eça de Queiróz, o espetáculo faz uma análise da sociedade burguesa lisboeta, mostrando tramas de adultério, falsidade, jogos de interesses e ilusões românticas. No elenco do musical, estão onze atores, seis músicos, cantores e bailarinos.

Local: Espaço Tom Jobim
Endereço: Rua Jardim Botânico, 1.008, Jardim Botânico, Rio de Janeiro - RJ
Horário: Terça, Quinta, Sexta e Sábado às 20h30 | Domingo às 19h30
Duração: 165 min.
Preço: R$ 80
Classificação: 12 anos


EXPOSIÇÃO

Cássio Loredano — Desenhos
até 13 de novembro de 2012



A mostra, com 40 desenhos de intelectuais e personalidades políticas, culturais e esportivas, tem trabalhos criados por Loredano desde 1970 até hoje. Com curadoria do crítico de arte Ronaldo Brito, o conjunto ressalta a avaliação da obra de Cássio Loredano como artística, histórica e de destaque no desenho nacional e internacional. Entre retratados na exposição, estão Tancredo Neves, Lula, Dilma Rousseff, o educador Paulo Freire, os escritores Machado de Assis e Mário de Andrade, os pensadores franceses Jean-Paul Sartre e Simone Beauvoir e o cineasta Alfred Hithcock, além do guerrilheiro Che Guevara, do ator e cineasta Charles Chaplin e do escritor e dramaturgo Franz Kafka, em imagens que entraram para a história. As obras foram publicadas em veículos como o antigo jornal satírico carioca “O Pasquim” e o diário espanhol “El País”, entre outros.

Local: Galeria Paulo Fernandes
Endereço: Rua do Rosário, 38 - Centro - Rio de Janeiro - RJ
Horário: Terça a Sábado, das 12h às 17h
Classificação: Livre

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

[Resenha] Camisetas del mundo

Mais que somente uma peça de roupa, as camisetas se tornaram verdadeiros cartazes que identificam o estilo e a atitude de quem veste. Além de um design gráfico básico, a camiseta tem uma grande popularidade por ser um suporte que facilita a impressão de todos os tipos de desenhos e mensagens. Considerando o melhor dos desenhos experimentais e tradicionais, este estilo de comunicação moderna é imortalizado e exaltado nestas páginas, tornando esta coleção essencial para designers e fãs de camisetas.

CAMISETAS del mundo. Barcelona: Index Book, 2006. 255p.



Disponível para consulta na Biblioteca ESPM Rio, unidade Rosário,111.
Localização: 7.05:391 C19

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Dicas Culturais do Feriadão - 11 a 15 de outubro

CINEMA



Circular [Brasil, 2012], de Adriano Esturilho, Aly Muritiba, Bruno de Oliveira, Diego Florentino, Fábio Allon (Grafo Audiovisual). Gênero: drama. Elenco: Letícia Sabatella, Cesar Troncoso, Santos Chagas, Marcel Szymanski, Bruno Ranzani. Sinopse: Cinco personagens de realidades distintas se cruzam dentro de um ônibus da linha circular, num momento único que pode mudar suas vidas para sempre. Duração: 94 min. Classificação: 12 anos.




A entidade [Sinister, EUA, 2012], de Scott Derrickson (Paris). Gênero: horror. Elenco: Ethan Hawke, Vincent D’Onofrio, James Ransone, Fred Dalton Thompson. Sinopse: Pedaços de vídeos ajudam um romancista a desvendar como e por que uma família foi assassinada em sua nova casa, mas as descobertas colocam em perigo sua família. Duração: 110 min.




E se vivêssemos todos juntos? [Et si on vivait tous ensemble?, França/Alemanha, 2012], de Stéphane Robelin (Imovision). Gênero: comédia. Elenco: Géraldine Chaplin, Jane Fonda, Pierre Richard. Sinopse: Cinco velhos amigos decidem morar juntos para fugir da dependência dos filhos. Duração: 96 min. Classificação: 14 anos.




Os infratores [Lawless, EUA, 2012], de John Hillcoat (Imagem). Gênero: drama. Elenco: Tom Hardy, Jessica Chastain, Gary Oldman, Shia LaBeouf, Guy Pierce, Mia Wasikowska. Sinopse: Durante a Depressão, uma gangue é ameaçada de ter seus lucros cortados pelas autoridades. Abertura nos EUA: US$ 10 milhões (em 31/08/2012). Dif. (segundo fim de semana): +250. Acumulado nos EUA: US$ 37 milhões. Duração: 100 min. Classificação: 16 anos.




Moonrise Kingdom [EUA, 2012], de Wes Anderson (Universal). Gênero: comédia. Elenco: Bruce Willis, Edward Norton, Bill Murray, Tilda Swinton. Sinopse: Na Nova Inglaterra dos anos 1960, um menino e uma menina se apaixonam e resolvem fugir. A cidade então organiza uma busca pelos dois, e o lugar acaba virando de cabeça para baixo. Abertura nos EUA: US$ 522,9 mil (em 25/05/2012). Dif. (segundo fim de semana): +67,7%. Acumulado nos EUA: US$ 43,6 milhões. Duração: 94 min. Classificação: 12 anos.




Procurando Nemo 3D [Finding Nemo 3D, EUA, 2012], de Andrew Stanton e Lee Unkrich (Disney). Gênero: animação. Vozes: Alexander Gould, Willem Dafoe, Geoffrey Rush, Ellen DeGeneres. Sinopse: Relançamento em 3D do filme vencedor de quatro Oscar em 2004, incluindo melhor filme de animação. Abertura nos EUA: US$ 16,6 milhões (em 14/09/2012). Dif. (segundo fim de semana): -42,2%. Acumulado nos EUA: US$ 39 milhões. Duração: 100 min. Classificação: livre.




Ruby Sparks – A namorada perfeita [Ruby Sparks, EUA, 2012], de Jonathan Dayton e Valerie Faris (Fox). Gênero: comédia. Elenco: Zoe Kazan, Antonio Banderas, Paul Dano, Alia Shawkat. Sinopse: Um autor com bloqueio criativo encontra o amor na forma menos usual possível, criando uma personagem que ele acredita que irá amá-lo. Abertura nos EUA: US$ 140 mil (em 27/07/2012). Dif. (segundo fim de semana): +181%. Acumulado nos EUA: US$ 1,2 milhão. Duração: 106 min. Classificação: 14 anos.


Rio de Janeio

SHOW

A Banda Mais Bonita da Cidade
11 de outubro de 2012



Consagrada com a música “Oração”, que atingiu estrondoso sucesso na internet em 2011, a banda curitibana apresenta as músicas de seu primeiro disco, homônimo, e recebe as cantoras Clarice Falcão e Jessica Allossery. No repertório, estão “Mercadoramama”, “A balada da bailarina torta”, “Aos garotos de aluguel” e outras.

Local: Teatro Rival
Endereço: Rua Álvaro Alvim, 33 - subsolo, Centro, Rio de Janeiro - RJ
Horário: 21h
Preço: R$ 30 (os 200 primeiros) | R$ 45
Classificação: 16 anos.


TEATRO

Canastrões
de 11 a 21 de outubro de 2012



Num espaço vazio, três personagens arrastam seus canastros (baús) e revisitam suas memórias, ora contraditórias, ora patéticas, ora divertidas.

Local: Teatro Carlos Gomes
Endereço: Praça Tiradentes, 19 - Centro - Rio de Janeiro - RJ
Horário: qui, sex e sáb às 19h | dom às 18h
Duração: 90 min.
Preço: R$ 30
Classificação: 12 anos


EXPOSIÇÃO

Ana Vitória
de 11 de outubro a 4 de novembro de 2012



A a bailarina e coreógrafa reúne fotos, vídeos, objetos e dança na exposição “Ferida sábia”. O conjunto inclui uma instalação com 150 camisolas do século XIX, uma videoinstalação com imagens de cerejeiras e sangue e duas instalações feitas com calçolas e anáguas antigas, bacias esmaltadas e líquido vermelho. Bailarinas com idades entre 29 e 84 anos, Angel Vianna, Priscila Teixeira, Soraya Bastos, Ana Vitória e Marina Magalhães apresentam performances que abordam temas como puberdade, maternidade, aborto e menopausa (qui e sex, às 18h, e sáb e dom, às 17h).

Local: Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica
Endereço: Rua Luís de Camões, 68 - Centro - Rio de Janeiro - RJ
Horário: dom e sáb 11:00 até 17:00 | ter, qua, qui e sex 11:00 até 18:00
Preço: Gratuito
Classificação: Livre

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Como desenhar sobre uma foto?



João Faraco, ex-aluno da ESPM-RJ ensina como fazer uma ilustração vetorial estilizada de uma foto.

terça-feira, 9 de outubro de 2012

O Grafite

Por Sílvio Anaz

Fachada decorada com grafite, em Olinda, Pernambuco
Com seus sprays, estênceis e idéias, os grafiteiros podem ser o terror ou a alegria da paisagem urbana. Desde que se constituiu como arte jovem nos anos 60, a forma contemporânea do grafite tem alimentado polêmicas. Ele, que nasceu clandestino e perseguido, conquistou espaços, aceitação e reconhecimento artístico ao longo das décadas. A ponto de em 2007 quatro jovens artistas brasileiros receberem a tarefa de grafitar os muros externos do castelo de Kelburn, uma histórica construção do século 13, em Ayrshire, na Escócia. Além disso, no mesmo ano, em um leilão na Sotheby’s, em Nova Iorque, um quadro do ex-grafiteiro Jean-Michel Basquiat atingiu o valor de US$14,6 milhões. Fatos como esses provam a consagração da arte do grafite, mas não a tiram da condição de marginal e ilegal na maior parte das situações.

O grafite dos dias atuais nasceu como arte de rua e de protesto no final dos anos 60, chegou às galerias de arte na década de 80 e tornou-se um patrimônio valioso no novo milênio. Mas muito antes disso, ele já era uma das expressões artísticas da humanidade. Ele fez parte da arte rupestre dos tempos das cavernas e das expressões populares no Império Romano. Já a versão de grafite atual é uma das heranças estética e ideológica da Pop Arte e começou a surgir no fim da década de 60 e começo da de 70 nas ruas da Filadélfia e de Nova Iorque. Muros públicos, fachadas de edifícios e trens do metrô viraram espaço de disputa entre adolescentes que queriam deixar suas marcas nas cidades ou expressar sua insatisfação com a sociedade a sua volta. O que começou como simples assinaturas, consideradas pichações e vistas como ato de vandalismo, evoluiu para pinturas gigantescas, algumas vezes incentivadas pelo poder público, que tornam a paisagem urbana colorida.

Produto da cultura jovem, a arte do grafite associou-se à música, principalmente ao hip-hop. Por conta disso, várias capas de discos acabaram sendo criadas por grafiteiros e muitos dos grafites urbanos foram inspirados nas canções do gênero.

Nas últimas décadas, ele consolidou-se como uma parte importante da cultura pop e, principalmente, após o reconhecimento do talento e da qualidade dos grafites feitos por Jean-Michel Basquiat, vários outros grafiteiros ganharam espaço em galerias de arte e exposições no mundo inteiro. Mas há ainda muita polêmica. Em importantes centros urbanos, várias medidas legais foram adotadas para se combater a ação de grafiteiros, consideradas como vandalismo. Também, tintas anti-pichação e outros sistemas de proteção têm sido inventados para inibir essa prática. Sinais de que a arte do grafite está ainda longe de ser uma unanimidade.

Fonte: Como Tudo Funciona

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Dicas Culturais do Fim de Semana - 5 a 7 de outubro

CINEMA



Até que a sorte nos separe [Brasil, 2012], de Roberto Santucci (Downtown/Paris/RioFilme). Gênero: comédia. Elenco: Leandro Hassum, Danielle Winitz, Ailton Graça, Kiko Mascarenhas. Sinopse: Tino, um pai de família de classe media, vê sua vida e, especialmente, seu casamento, completamente transformados após ganhar na loteria e perder toda a fortuna. Duração: 100 min. Classificação: 12 anos.




Busca implacável 2 [Taken 2, França, 2012], de Olivier Magaton (Fox). Gênero: ação. Elenco: Liam Neeson, Maggie Grace, Famke Janssen. Sinopse: Um agente da CIA aposentado volta à ativa durante viagem a Istambul depois que sua família é ameaçada. Duração: 91 min.




Hotel Transilvânia [Hotel Transylvania, EUA, 2011], de Genndy Tartakovsky (Sony). Gênero: animação. Vozes: Andy Samberg, Adam Sandler, Selena Gomez. Sinopse: Jonathan, um jovem viajante, descobre em plena Transilvânia um hotel de luxo povoado pelos maiores monstros da ficção, administrado pelo próprio Drácula, e acaba se apaixonando pela filha adolescente do vampiro. Com exibição em 3D. Abertura nos EUA: US$ 42,5 milhões (em 28/09/2012). Duração: 91 min. Classificação: livre.




Rota irlandesa [Route Irish, Reino Unido/França/Bélgica/Itália, 2010], de Ken Loach (Vinny Filmes). Gênero: drama. Elenco: Mark Womack, John Bishop, Geoff Bell, Stephen Lord. Sinopse: Funcionário de empresa privada de segurança no Iraque não aceita a explicação oficial sobre a morte de seu amigo. Então resolve descobrir por conta própria a verdade por trás da história. Duração: 109 min. Classificação: 14 anos.




Selvagens [Savages, EUA, 2012], de Oliver Stone (Universal). Gênero: drama. Elenco: Blake Lively, Taylor Kitsch, John Travolta, Aaron Johnson. Sinopse: Dois plantadores de maconha enfrentam uma quadrilha mexicana de tráfico de drogas que sequestrou a namorada que eles dividem. Abertura nos EUA: US$ 16 milhões (em 6/07/2012). Dif. (segundo fim de semana): +63,8%. Acumulado nos EUA: US$ 46 milhões. Duração: 130 min.


Rio de Janeiro

SHOW

Evanescence
6 de outubro de 2012



A banda americana de gothic metal formada em 1995 pela vocalista e pianista Amy Lee está de volta ao país, agora com a turnê de seu último álbum, homônimo. Lançado em 2011, o trabalho debutou em primeiro lugar na Billboard 200 e vendeu mais de meio milhão de cópias em apenas um mês. Entre as novas músicas, destaque para “What you want”, “My heart is broken” e “Lost in paradise”. O repertório conta ainda com clássicos dos outros quatro álbuns da banda.

Local: Arena Multiuso
Endereço: Av. Embaixador Abelardo Bueno, 3.401 - Barra da Tijuca - Rio de Janeiro - RJ
Horário: 20h30
Preço: Os ingressos variam de R$140 a R$360
Classificação: 16 anos.


TEATRO

TPM Katrina
de 5 a 29 de outubro de 2012



Casal enfrenta o auge da TMP da mulher. Sem que o marido consiga abrir a boca, o espetáculo trata de situações cotidianas da tensão conjugal.

Local: Teatro Vanucci
Endereço: R. Marquês de São Vicente 52 3.Piso Shopping da Gávea - Gávea - Rio de Janeiro - RJ
Horário: sexta e sábado às 23h30
Duração: 70 min
Preço: R$60 e R$30 (meia)
Classificação: 12 anos


EXPOSIÇÃO

Teresa Berlinck
até 27 de outubro de 2012



Na exposição “Livro aberto”, Teresa apresenta desenhos, esculturas e instalações inspirados em Goya e Hokusai, além de cenas do filme “Iracema, uma transa amazônica”, de Jorge Bodanzky.

Local: Coleção de arte
Endereço: Praia do Flamengo, 278 – Térreo – Flamengo - Rio de Janeiro - RJ
Horário: Segunda a Sábado, das 10h às 18h
Preço: Gratuito
Classificação: Livre